02/05/2014

Estamos no Facebook!


Enquanto o fim de semana petrolhead não chega, curta nossa página do Facebook na Like Box abaixo e acompanhe o que acontece por aqui. Boas aceleradas!



Opel sai da Austrália, mas seus carros ficam

por Diego de Sousa


A Austrália pode não ser o melhor lugar para se produzir carros, afinal GM, Toyota e Ford não têm bons planos para lá, mas continua um bom lugar para se comprar carros, e é isso que interessa. Além das picapes musculosas da Holden Special Vehicles, a General Motors de lá passará a oferecer o melhor da linha Opel: Astra VXR e GTC, Insignia VXR e Cascada Turbo, um dos dez mais belos conversíveis da atualidade.

01/05/2014

Podcar #01: Fiat-Chrysler Automobiles


por Diego M. de Sousa

Esse é o primeiro podcast publicado. E para mostrar o óbvio o batizei com Podcar, porque o assunto será sempre automóvel. E o assunto desse primeiro é o desafio do grupo ítalo-americano Fiat-Chrysler Automobiles, formado recentemente quando o grupo italiano conseguiu concluir a aquisição do lado americano.

22/10/2013

Pescoço de Ganso ou Pantográfico?


Os sedãs mais recentes já não ostentam dobradiças pantográficas na tampa do porta-malas e as publicações não entenderam o motivo, pois sempre reclamam a falta delas. Muito mais que redução de custo de produção, os tradicionais "pescoços de ganso" voltaram para reduzir custo de reparo. É mais fácil alinhar a imensa tampa de um Santana que a pequena de um Fiesta Rocam sedã, que usa um evoluído sistema pantográfico.

17/08/2013

Após nove anos, uma Yamaha 150


É certo que ninguém tem condições de desbancar a Honda Motos no Brasil porque ela tem 80% do mercado há anos e reage à concorrência com uma rapidez incrível. A Yamaha, única que poderia ter evitado o crescimento da arquirrival, nunca se preocupou em fazer Benchmarking para ao menos acompanhar o sucesso da eterna inimiga.

16/07/2013

Top Gear na vigésima temporada


O Top Gear original finalmente está de volta. O nosso programa favorito está vigésima temporada e mantém o mesmo estilo e as mesmas loucuras. Eu sei que o Jezza fala muitas "inverdades", mas o programa não faz parte do jornalismo da BBC e nem é feito para pessoas sensíveis. Justamente pelas mentirinhas bobas e pelo humor ácido o TG é um sucesso mundial.

14/07/2013

O novo Tracker da nova GM


Ford e Renault, preparem-se. Finalmente a Chevrolet lançou um concorrente para o EcoSport, que de 2003 a 2011 ficou sem um rival direto, e para o franco-romeno Duster. É o Tracker, conhecimento mundo afora como Trax. Fabricado no México, deve chegar tão logo a GM terminar os preparativos do lançamento.

12/07/2013

Honda emociona com comercial "Hands"



Poucos comerciais conseguem mostrar de forma sutil e sem ofensas a superioridade da empresa. No comercial Hands (mãos) a Honda surpreendeu e emocionou a todos, principalmente aos brasileiros.

02/07/2013

Produto mundial: economia global


Mais de seis meses se passaram depois que sofri um acidente de moto e durante esse tempo minha Yamaha Crypton 115 ficou guardada na garagem completamente desmontada antes de ser vendida. Retirei todas as peças danificadas e a cobri com uma lona para esperar um momento oportuno para conserto.

09/02/2011

CRÔNICAS PRAIANAS CAPÍTULO 2: PICAPES PRAIANAS

por Mister Fórmula Finesse

AMAROK CONFIRMA IMPRESSÕES:






Minha humilde colaboração neste blog começou exatamente com a avaliação da recêm lançada picape Amarok, da Volks. Ficou patente na época que a camionete era algo um tanto diferente das concorrentes no segmento, notadamente em relação ao seu comportamento exemplar quando era dirigida como um carro, e não como uma mera utilitária. Bem, o tempo passou e a Amarok não decolou nas vendas, tanto que existe a promoção de IPVA e seguro grátis na compra da picape. Os motivos podem ser vários; a falta de nome da marca no segmento, a conhecida sanha por numerários que parece que é um opcional não muito agradável da Volks do novo século; o acabamento um tanto “Camaçari” para um veículo de 120 mil reais, e a falta de caixa automática (aff...), opção que é majoritária em Hilux , Triton e Frontier.

04/02/2011

PARAFRASEANDO JLV, OU... SÓ O BRASIL MESMO!

JLV é um gênio, José Luiz Vieira dispensa apresentações para quem acompanha a tempos a odisseia desta maquina maravilhosa chamada automóvel.  A simples menção das suas iniciais, impressas em qualquer pedaço de papel ou assinando qualquer texto eletrônico, é a certeza de chancela de qualidade indiscutível. JLV formou uma geração inteira de AUTOentusiastas quando da época da Motor 3*, uma revista que se tornou uma preciosidade tão rara e disputadas nos sebos quanto os ovos Fabergé.  Sua estatura de jornalista, entusiasta e conhecedor de carros só é igualada – em minha opinião – por Bob Sharp, mais um que é um verdadeiro patrimônio cultural vivo do nosso país; o homem é um manancial interminável de conhecimentos e não por acaso, o tutor do blog-referência AUTOentusiastas.

*http://autoentusiastas.blogspot.com/2010/03/motor-3-forca-quase-trinta-anos-depois.html

O encontro desses dois gigantes, mesmo que por breve momento, ocasionou a publicação de uma pequena passagem de memória de JLV no blog do Bob. A pequena e saborosa crônica é esta:

http://autoentusiastas.blogspot.com/2010/03/so-na-italia.html

Eu lembrei dessa crônica, que já têm quase um ano de idade, ao passar por uma situação um tanto semelhante ontem no final da tarde. Mas lembrem amigos, a diferença que existe entre um Lamborghini Countach e o carro que eu estava guiando, é a mesma do grande José Luiz Vieira para este pobre arremedo de escriba...



Dirigindo ao final do dia, deparei-me com o acesso de uma empresa que eu costumava utilizar para atalhar caminhos. Todo o pavimento estava coberto de uma fina camada de cascalho fino. Toda a malícia do que poderia ser feito utilizando aquela condição nova de atrito surgiram na cabeça quase que de forma instantânea. Não precisei de um segundo sopro do diabinho montado no ombro, vamos lá!

Como eu conhecia bem o carro que estava guiando, pequeno, leve, simples (pouca coisa para quebrar e barata!); entrei na curva – de ampla visão de saída e tráfego nulo – já em terceira marcha. Um pequeno toque no volante para o lado contrário da tangência, para garantir um pouco mais de espaço e o golpe imediato para o lado “correto”, não com o intuito de quebrar a aderência dos pneus da frente, mas para a traseira do carro soltar ao sabor da brita. Manobra muito simples, intuitiva, quase natural...apesar da terceira marcha espetada, a velocidade não era alta, apenas não queria estrangular o motor demais em segunda; queria algo mais silencioso, fluido e com finesse.

Exatamente como eu esperava, a traseira do carro – tração dianteira – saiu de forma progressiva, fechando o ângulo da curva, tudo para uma linda derrapagem controlada quando me deparo com “abajures” suspeitos aparecendo atrás de uma colina não muito distante.



Gelei!! Meus piores temores se conformaram em um milésimo de segundo e a realidade começou a pintar-se de cores sombrias. Era uma Blazer da polícia rodoviária, e me pegou bem no meio da derrapagem, com o carro todo torto e as rodas apontadas para o lado contrário da curva. Eu já estava corrigindo o carro com o volante e com leve pressão no acelerador, nesse átimo de segundo – quando vi a viatura – imaginei como coibir o ângulo da escapada, mas já era tarde demais. Tirei o pé com o carro alinhado e já me imaginei sendo atirado em um calabouço medieval, com o carro aprendido para todo o sempre.

O policial da Blazer, quando se aproximou, apenas fez um sinal de luz e um positivo com a mão, para meu enorme alívio...respondi de forma (trêmula) e idêntica; cruzei com o carro dele e continuei o meu caminho ainda não acreditando no indulto recebido.

Posso formular várias hipóteses para isso; talvez ele tenha pensado que eu tenha me perdido ao volante, o local era inofensivo em termos de danos para outras pessoas, a velocidade não era exagerada apesar da plasticidade da manobra....

Ou, ele era um dos nossos! Ele entendeu que a manobra foi feita de forma consciente e bem executada em sua simplicidade; ele pode até ter gostado de ver aquele carrinho inofensivo curvando como um WRC de câmera lenta. O policial ao volante, também um ser humano, deve curtir a aventura de dirigir e sentiu não havia pecado capital naquela ocasião.

Não penso em repetir a experiência sem antes verificar os locais de brincadeira novamente (fiz mais duas passagens nos dois sentidos -de lado - para entender reflexos e comportamento do carro, logo depois do susto), mas deu para entender e especular que o gosto por dirigir, as vezes, habita lugares meio insuspeitos.

Parafraseando JLV: só o Brasil mesmo!

24/01/2011

CRÔNICAS AUTOMOTIVAS PRAIANAS (Capítulo I)

Por Mister Fórmula Finesse


Amigos leitores, após um recesso de não mais do que três árduas semanas de praia, volto a escrever e a dividir com vocês, um pouco do meu entusiasmo e de tudo que pude absorver em termos “automobilísticos” do que vi e senti nesses últimos dias. A paixão por carros, é bem sabido isso, não tira férias nunca. Você não deixa de amar alguém ou alguma coisa se estiver envolvido em outras atividades, mesmo que elas estejam focadas para a direção oposta do seu magno interesse. Desse modo, vamos retomar em forma escrita, a aventurar nos em mais uma etapa ou capitulo desse amor incondicional por carros que todos nós aqui dividimos. Entrem que a casa é sua!

Carro e praia... combinam?

FIM DAS FÉRIAS, RETORNO AO BLOG!

Você leitor assíduo, que ficou ébrio de desgosto (sic) ao visitar o blog e não encontrar mais nenhuma novidade, pode voltar a sorrir (sic 2x)...o referencial em automóveis e motos (sic..infinite) volta a operar na próxima semana.

Como bom filho de Deus, tirei algumas semanas de férias na praia, e como não havia nenhum periférico virtual a mão, fiquei mais isolado que o beato Salú...(entreguei a idade!).

Mas não volto apenas de bolsos cheios de areia e sal, retorno com um bom cardápio para juntos apreciarmos na semana que vêm, confiram:

- Carro e praia combina?
- Impressões rápidas do Nissan Sentra com câmbio CVT; o complexo de vira-lata;
- Impressões rápidas e a confirmação do quê a Volkswagen Amarok pode fazer, matéria nova;
- Impressões rápidas da picape SsangYong Actyon Sports, ou o porquê que borboletas não combinam com camionetes diesel;
- Pensata: Monteiro Lobato e a enxurrada de carros;
- Honda Civic Si e sua insuspeita habilidade citadina.

Tudo isso fazendo do pacote “volta do veraneio”, post mais variado que uma bela salada, e – gosto de acreditar – tão palatável quanto.

Até semana que vêm pessoal; estamos abertos a sugestões de testes, memórias ou matérias.

Mister Fórmula Finesse

03/01/2011

Impressões: Focus Sigma x Golf Tech x Bravo


Por Mister Fórmula Finesse

Não é de hoje que o segmento de carros médios e hatches anda pegando fogo. Como são um meio termo entre carros mais esportivos e sedã familiares – e afastam-se da massa dos populares -  é normal que sua fatia de mercado tenha uma abrangência bastante ampla, conquistado do novato com devaneios de piloto até o cidadão mais pacato, que não precisa de tanto espaço no porta malas.

23/12/2010

É HORA DE PASSEAR... DE PICAPE!

Texto escrito para o MotoReport




Nem sempre estamos dispostos a pegar a moto e ganhar a estrada. O problema é que sempre queremos levar a motoca para os passeios dos finais de semana (ou não é bom passear numa magrela XTZ pelas areias de Jericoacoara?). Nessas situações as picapes são boas companheiras, ao contrário dos reboques.
Related Posts with Thumbnails