18 de ago de 2016

Projeto Kart Cross - O desejo


Todo petrolhead que se preze teve ou tem vontade de construir um carro, nem que seja partindo de outro. Comigo não poderia ser diferente. Desde o lançamento dos Project Cars no site FlatOut acompanho a saga de alguns corajosos que se metem a isso — tem um que construiu uma Lamborghini! — e percebi que nada é fácil.

Não obstante a isso, em 2015 comecei a querer colocar adiante um projeto de carro. Por questões financeiras e também culturais, nunca gostei de empenhar dinheiro em coisas não-rentáveis. Nada de mexer no próprio carro, portanto. Tive a ideia de começar a projetar um kart bom de asfalto que fosse capaz de rodar longe dele; em tese, um kart cross. Como não fui infectado pelo vírus do off-road, não busco um carro capaz de transpor atoleiros e ou subir morro. Apenas uma espécie de Subaru Impreza.

Essa característica é importante porque onde moro não há circuito ou local apropriado para kart comum. Tem ruas (mal) asfaltadas e uma pista de pouso, mas o que sobra é estrada de terra para sítios, com direito a vegetação fechada e terra batida. Nesses caminhos um bom kart cross é capaz de proporcionar mais prazer que qualquer carro fechado — considerando um Citroën Saxo 1.1 que pilotei ali e era ótimo.

No projeto estão envolvidos meu irmão (mais velho) e meu pai. É uma forma de realizar um sonho comum, economizar e agilizar as tarefas. Meu irmão é fanático por ferramentas e aprende rápido a trabalhar com materiais novos, enquanto meu pai é muito inteligente e consegue simplificar e obter o mesmo resultado. Além dividir a fatura, vou tento participar como ajudante e realizar ajustes de ergonomia e comportamento dinâmico.

Nos primeiros meses busquei em fóruns e no YouTube projetos interessantes que pudesse me basear. No Mercado Livre encontrei alguns para venda, mas nenhum me agradou. Boa parte me pareceu pesado, de dinâmica imprecisa ou desnecessariamente potente. Resolvemos então partir para um projeto próprio, inteiramente novo e original.

Nada saiu do papel, mas a ideia é que o kart siga o espírito dos carros de WRC e seja capaz de rodar em altas velocidades (70~90 kph) na terra com absoluto controle e precisão. Preceitos de Colin Chapman serão seguidos e simplificação será palavra-chave para obter o máximo de prazer com o mínimo de custo. Robustez e segurança devem receber atenção especial. Mas isso é assunto para depois.

0 comentário(s):

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre este post.