14 de dez de 2009

TEMPERO FORTE; REJEIÇÃO INEVITÁVEL


Os Alfas são carros rejeitados pelos normais e amados por nós, os loucos. Para um cidadão comum, que nunca ouviu falar em carro italiano, aquela peça tringular entre os faróis parece uma loucura de xuning ou uma aberração, pois ele prefere um conservador V sobre um W. Mas Alfas são especiais.

As mulherem o chamam de "fofo"; nós ficamos sem palavras

Especiais porque qualquer marca oriental chega ao patamar de um Cadillac, mas nenhuma copia o tempero italiano (por mais que tente, nenhuma gaúcha faz Pato no tucupi como uma paraense...). E é por esse tempero distinto e quase incopiável que a centenária marca (não mais empresa, pois está sob o domínio da Fiat) sobrevive.

O coração da Alfa está bem destacado no 156

Quem compra um 159 não quer simplesmente um sedã de luxo, mas um Alfa Romeo (primeiro ele escolhe a marca, depois o carro). Gosto de carros assim, cheios de personalidade.

Um hot hath muito bonito e sem exageros

Claro que tudo que tem personalidade forte sofre de rejeição. Os brasileiros são conservadores demais na escolha do carro. Outros problemas que afetaram a marca foi a adaptação de tanta esportividade ao asfalto medíocre que existe no Brasil e a Fiat, que não a representou bem porque só sabe fazer e vender produtos econômicos.

"A estrada é a minha diversão"

1 comentário(s):

Anônimo disse...

Só quem sabe apreciar verdadeiros carros, compreende a natureza dos Alfas.

O Brasil, nos últimos anos tem sido a terra do carro popular. Os brasileiros têm aberto mão de conforto e performance por economia e fácl revenda.

Triste, para os entusiastas.

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre este post.